terça-feira, 23 de junho de 2020

Não economiza não!

NÃO ECONOMIZE ...

 O abraço apertado.
O beijo demorado.
Aquele sorriso sincero.
Olhar pausado.

As mãos entrelaçadas.
Em falar que ama.
Apreciar a lua, as estrelas.
Quando a saudade chama.

Em conhecer um novo lugar.
Experimentar novos sabores.
As tardes à beira mar.
Viver novos amores.

O passeio de bicicleta.
Ao brincar com uma criança.
Se apaixonar pela vida.
Naquela dança.

Os brindes com vinho.
As conversas com café.
Ao ouvir outra pessoa.
Naquele cafuné.

Enfim, não economize amor, pois, a vida é um sopro e quando percebemos, ja passou!
Por isso, ame! É a única coisa que levaremos quando morrermos.

Nos encontramos por aí...


Fica dica da canção que me inspirou. 💗

E tudo que fizer, faça de coração!!!

segunda-feira, 8 de junho de 2020

O QUE A MEMÓRIA AMA, FICA ETERNO.

   
Praia do Cruzeiro / Ubatuba S.P


    Quando eu era pequena, não entendia o choro solto da minha mãe ao assistir a um filme, ouvir uma música ou ler um livro. O que eu não sabia é que minha mãe não chorava pelas coisas visíveis. Ela chorava pela eternidade que vivia dentro dela e que eu, na minha meninice, era incapaz de compreender. 
   O tempo passou e hoje me emociono diante das mesmas coisas, tocada por pequenos milagres do cotidiano.
   É que a memória é contrária ao tempo. Enquanto o tempo leva a vida embora como vento, a memória traz de volta o que realmente importa, eternizando momentos. Crianças têm o tempo a seu favor e a memória ainda é muito recente. Para elas, um filme é só um filme; uma melodia, só uma melodia. Ignoram o quanto a infância é impregnada de eternidade.
   Diante do tempo, envelhecemos, nossos filhos crescem, muita gente parte. Porém, para a memória, ainda somos jovens, atletas, amantes insaciáveis. Nossos filhos são crianças, nossos amigos estão perto, nossos pais ainda vivem.
   Quanto mais vivemos, mais eternidades criamos dentro da gente. Quando nos damos conta, nossos baús secretos – porque a memória é dada a segredos – estão recheados daquilo que amamos, do que deixou saudade, do que doeu além da conta, do que permaneceu além do tempo.
   A capacidade de se emocionar vem daí, quando nossos compartimentos são escancarados de alguma maneira. Um dia você liga o rádio do carro e toca uma música qualquer, ninguém nota, mas aquela música já fez parte de você – foi o fundo musical de um amor, ou a trilha sonora de uma fossa – e mesmo que tenham se passado anos, sua memória afetiva não obedece a calendários, não caminha com as estações; alguma parte de você volta no tempo e lembra aquela pessoa, aquele momento, aquela época...
   Amigos verdadeiros têm a capacidade de se eternizar dentro da gente. É comum ver amigos da juventude se reencontrando depois de anos – já adultos ou até idosos – e voltando a se comportar como adolescentes bobos e imaturos. Encontros de turma são especiais por isso, resgatam as pessoas que fomos, garotos cheios de alegria, engraçadinhos, capazes de atitudes infantis e debilóides, como éramos há 20 ou 30 anos. Descobrimos que o tempo não passa para a memória. Ela eterniza amigos, brincadeiras, apelidos... mesmo que por fora restem cabelos brancos, artroses e rugas.
   A memória não permite que sejamos adultos perto de nossos pais. Nem eles percebem que crescemos. Seremos sempre "as crianças", não importa se já temos 30, 40 ou 50 anos. Pra eles, a lembrança da casa cheia, das brigas entre irmãos, das estórias contadas ao cair da noite... ainda são muito recentes, pois a memória amou, e aquilo se eternizou.
   Por isso é tão difícil despedir-se de um amor ou alguém especial que por algum motivo deixou de fazer parte de nossas vidas. Dizem que o tempo cura tudo, mas não é simples assim. Ele acalma os sentidos, apara as arestas, coloca um band-aid na dor. Mas aquilo que amamos tem vocação para emergir das profundezas, romper os cadeados e assombrar de vez em quando. Somos a soma de nossos afetos, e aquilo que amamos pode ser facilmente reativado por novos gatilhos: somos traídos pelo enredo de um filme, uma música antiga, um lugar especial.
   Do mesmo modo, somos memórias vivas na vida de nossos filhos, cônjuges, ex-amores, amigos, irmãos. E mesmo que o tempo nos leve daqui, seremos eternamente lembrados por aqueles que um dia nos amaram.


ADÉLIA PRADO

domingo, 12 de janeiro de 2020

Um novo dia, uma nova esperança.

     
Praia vermelha do Norte - Ubatuba S.P


     Todas manhãs, somos agraciados com um novo começo, a noite se vai, levando a escuridão, o sol surge e com ele a luz que ilumina nosso dia e os raios ajudam a ter clareza no caminho.
     Sempre é tempo de recomeçar, ano novo se inicia e muito projetos, sonhos, propósitos são colocados no papel e como meta pra 2020, mas se não formos atrás, não nos esforçarmos, nada mudará!
     Que esse começo de ano inspire nosso coração a buscar sabedoria, discernimento, força, equilíbrio para conquistarmos tudo que planejamos. Deus capacita e nos conduz no caminho correto para realizarmos a vontade d'Ele.
     Que a cada amanhecer, seja a centelha que aquece e trás brilho ao nosso coração.
     Se por ventura, nossos dias ficarem um pouco encoberto por nuvens, não percamos a clareza e a certeza de que o sol continua a brilhar, assim também nossa esperança precisa ser plena e que nossa confiança esteja sempre no Senhor que cuida de nós e nos presenteia com o "presente" chamado vida!

Nos encontramos por aí...

sábado, 14 de setembro de 2019

Reescrever as estrelas.


"Tudo que eu quero é voar com você.
Tudo que eu quero é cair com você.
Então me dê tudo de você.
Parece impossível (não é impossível).
Isso é impossível?
Diga que é possível!"

     Quando a canção toca a alma e o coração.
     Talvez as mãos estejam atadas, mas não é sobre mim, nem sobre você, é sobre a distância que impede o toque.
     Nesta noite, é fechar os olhos e acreditar que o sonho é possível.
     Se reescreveremos as estrelas eu não sei, mas podemos escrever nossa história.
     Me dê a sua mão e vamos voar!

Nos encontramos por aí...

domingo, 1 de setembro de 2019

Somos amanhecer!



 De longe te vejo, te percebo e tento decifrar o teu olhar.
Escondido nas entrelinhas do meu sorriso, busco uma maneira de ter um sorriso teu.
Em frente ao mar, procuro entender o meu coração.
Assim escondida, sigo andando pela beira da praia, olhando o horizonte, e sabendo que mesmo distante eu posso apreciar, assim também é com você!
Nem tudo que é perfeito, temos por perto, assim como o sol e o mar estão distantes, mas formam um lindo amanhecer.
 Sou eu e você, triste distância, mas sem jamais perder a esperança de um dia ao meu lado te ter.
E guardar numa fotografia o mais belo amanhecer... Enquanto isso, vou seguindo, caminhando e esbarrando no teu olhar.

sábado, 10 de agosto de 2019

Voltei



Andei por aí...
Pensei em não voltar.
A poesia se extinguiu.
Mas, quando penso que a vida é brevidade, sinto a necessidade de escrever.
Que seja em versos pequenos, palavras perdidas, só não posso deixar que a vida passe despercebida.
Voltei, com passos mais lentos, observando o contexto, dando vasão a razão.
Mas sem deixar jamais, ouvir a voz do coração!

Nos encontramos por aí...

terça-feira, 23 de abril de 2019

Caminhos

 
     Ninguém passa pela nossa vida por acaso, algumas pessoas vem com o propósito de nos iluminar, de ascender a luz que estava apagada, por inúmeros motivos.
      Essas pessoas, se tornam como ajuda divina, pois,  nem sempre, as coisas saem como imaginávamos.
      Difícil compreender certas situações da nossa existência, porém é necessário aprender com cada pessoa que cruza nosso caminho.
      O mistério do encontro é fabuloso na vida do ser humano, mesmo sendo constante, nem sempre damos a devida importância. Porém, cabe a cada um de nós, termos uma visão diferenciada e entender o que muitas vezes não está exposto.
     Desses encontros, a sabedoria de guardar cada instante, o detalhe, o sorriso, o olhar,  o calor do abraço, a palavra dita, ou silenciada, o toque, o gesto, a intenção, a interação e tudo isso, guardar no baú do coração.
     Mesmo que algumas pessoas não fiquem por muito tempo em nossa história, de alguma maneira, tiveram sua importância, pois poderiam não terem cruzado nosso caminho, mas houve uma oportunidade, uma graça maior.
    Independente, se a permanência seja longa ou curta, sempre existirá um lugar reservado no cerne existencial, por mais breve que sejam esses encontros ... o "para sempre" existirá em nossos corações!.

  Nos encontramos por aí...
© Olhar de Anjo .
Todos os direitos reservados.
Ilustrado por: Bluemih .
Tecnologia do Blogger .